27 de jun de 2018

216. AS EMOÇÕES DOS PAIS MUITO DIRÃO DAS EMOÇÕES DOS FILHOS.

Se você não leu a postagem anterior, sugiro que a leia, pois fundamenta a emoção e o sentimento, que servirão de base para o melhor aproveitamento desta postagem.

Por que as emoções dos pais dizem das emoções dos filhos?
Photo by Nathan Shively on Unsplash
Porque os filhos sem maturidade suficiente para gerir as emoções, imitarão seus pais. E esta experiência será registrada em suas memórias e servirá de base para futuras experiências semelhantes.Vamos a um exemplo: Cada vez que o pai da criança interpreta como injusta a ação do árbitro, ele bufa, gesticula, berra com a TV o xingando. O que acontece? A ação do árbitro entra sem “colorido” no cérebro do pai através dos seus sentidos. É codificada e interpretada pela emoção a partir de suas memórias emocionais registradas em experiências anteriores. Neste caso, esta interpretação ativa nele a emoção da raiva, e a informação contaminada e colorida pela raiva será então racionalizada. Esta, por sua vez, mostra neste caso que, mal analisada e gerida, transforma aquela ebulição causada pela emoção em sentimento de injustiça, irritação e de revolta com um comportamento explosivo. E a criança aprenderá com esta experiência, e quando achar que um árbitro foi injusto, ou o professor, ou futuramente o seu chefe, terá como forte influência estas memórias guardadas. Quando dizemos, “ele puxou o pai, pois é explosivo como ele” estamos de fato dizendo que o pai, sem se dar conta, ensinou o seu filho a ser explosivo.  Assim como ensinamos tantas coisas sem nos darmos conta. Cuidemos das nossas emoções, pois assim estaremos também cuidando das emoções dos nossos filhos. Boas emoções! Vamos lá Brasil!

Nenhum comentário:

Postar um comentário