1 de abr de 2017

197. VOCÊ VASCULHA A VIDA DO SEU FILHO?

Muitos aconselham aos pais a vasculharem a vida do filho para saberem por onde anda, com quem anda, o que fala, o que posta, enfim. Observar e controlar o filho para de certa forma protegê-lo. E muitos, na surdina, vasculham mochilas, gavetas, diários, mensagens. E encontram esperadamente, o inesperado. Claro! Ao procurar o escondido, sem perceber, ensina-se que é preciso esconder. Este tipo de ação nem protege, nem é efetiva e ainda é destrutiva, pois não é relação de confiança, a única que funciona. Não devemos controlar os filhos, mas ensiná-los, dia a dia, a bem cuidarem de si na própria vida. E precisam de muito apoio para desenvolverem a personalidade, os valores, os princípios, para enfrentarem os medos, as dúvidas, os desafios. Não é de controle ou que os vasculhemos o que precisam! Quando os filhos confiam e encontram em nós apoio e orientação, eles se abrem. Mostram as mensagens que os inquietam. Pedem conselho de como agir nas situações conflitantes. Contam as maravilhas e os “podres” dos amigos, das baladas, das aulas, de si. Perguntam sobre sexo, drogas, o que for. Mas para isso, é preciso saber ouvir sem julgamento, ter cautela com a reação, ajudar a pensar junto (não pensar por ele), aproximar-se dos amigos com abertura, ser legal sem deixar de ser pai/mãe, não ser subserviente, participar com interesse e responsabilidade. Pois, conhecer o filho em vida e ajudá-lo a melhorar nela é melhor que vasculhá-lo e gerar farsa e aborrecimento. Invista na confiança, na relação de vocês e deixe os olhos da alma sorrirem descontroladamente.

2 comentários:

  1. Não concordo com esse tipo de texto. Os pais devem sim, procurar saber o que os seus filhos fazem, independente se eles querem mostrar ou não. Com o mundo cão que estamos vivendo, deixar que os filhos se sintam seguros pra vir conversar com os pais sobre tudo, é no mínimo muito ingênuo achar que isso vai acontecer.

    ResponderExcluir
  2. Júlia Almeida
    Eu entendo e sei que várias pessoas concordarão com você, afinal vivemos sim no mundo cão. E basta ter filho para ter medo de perdê-lo, em todos os sentidos. Entendo sim e fico muito feliz com o seu comentário. Todavia, o que sonho para os nossos filhos é uma sociedade bem diferente desta e pautada na cultura da confiança e segurança como há em tantos países do primeiro mundo mostrando ser possível. E se quero a mudança, tenho que começar por mim e pela educação dos meus filhos. Não é ingenuidade. É sonho em ação. Eu eduquei e educo assim e é incrível como funciona. Hoje, minhas filhas estão com 22 e 20 anos, já assumiram a própria vida e fico muito orgulhosa com o que fazem com as suas vidas. Vale a pena saber que filho querer e para que mundo e lutar por este sonho e fazer acontecer. Reproduzir o que temos, eu não quero.
    Muito grata por seu comentário. É mesmo uma questão polêmica que merece atenção.
    grande abraço

    ResponderExcluir