17 de jun de 2015

152. PARA GABI EM SEUS 21 ANOS.


Quando fiz 21 anos meu pai lançou-me um enigma como sempre gostava de fazer. E, como sempre, eu passava horas, dias ou até anos até sossegar com uma boa resposta. E nesse dia não foi diferente. Ele disse: “Parabéns, minha filha! Agora já é dona do seu nariz.” Fez uma pausa e continuou: “Mas lembre-se: não é dona dos buracos que nele há.” A expressão “ser dona do nariz” era-me familiar. Ser independente, livre, responsável por meus atos eu já vinha sendo ao morar sozinha, experiência muito importante à minha formação. Mas, o que significava não ser dona dos buracos do nariz? Já modifiquei alguns vezes essa resposta, mas hoje eu diria que ser dona de si não significa fazer o que se quer, nem quando, onde e por que se quer, pois há os buracos. Os buracos hoje simbolizam tudo o que não sou eu, mas que eu interajo de certa forma. Lembram-me que vivo no mundo, com o mundo e com os outros, e que devo ter uma contribuição responsável com os seres e ambientes, ciente de que esses “buracos” são também ocupados por outros. Que por eles coisas boas e ruins podem ser “respiradas” e por isso que é fundamental saber onde coloco o meu nariz. Mas que é graças ao que não me pertence, o buraco, que posso oxigenar, movimentar e dar vida à vida. Parabéns, minha filha! Há 21 anos vivo a delícia de ser mãe e de tê-la como filha. É um encanto e um presente participar e notar o quão brilhantemente constrói a sua vida e o seu ser com tanta consciência de seu nariz com seus buracos. Viva! Bravo!

5 comentários:

  1. Anônimo6/18/2015

    Muito interessante a abordagem. Parabéns para você e sua filha.
    Cristina Ferreira

    ResponderExcluir
  2. Anônimo6/18/2015

    Amei a profundidade do texto. Nunca mais irei olhar o meu nariz como antes.
    Grande abraço
    Silvia

    ResponderExcluir
  3. Lindo texto! Você sempre surpreende! Reflexões maravilhosas!
    Te amo muito!
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Que bom estar de volta ao teu lado para tantas outras filhosofias… Que privilégio! Muito obrigada por ter me dado a vida e me permitir voar, apesar de não ser fácil. Se hoje sou o que sou, é porque você me deu uma base maravilhosa e me enche de forças para ir atrás do que eu acredito. Muito obrigada por ser tudo isso pra mim. Há 21 anos vivo a delícia de ser sua filha. Amo você.

    ResponderExcluir
  5. Parabéns Gabi
    Que Deus continue te abençoando. Lígia, linda reflexão. Bjs querida.

    ResponderExcluir