12 de mar de 2015

142. EDUCAÇÃO PELO MUNDO: Índia e a Educação por Projetos: Ahmedabad.


O último projeto que irei apresentar foi conhecido e vivenciado em Ahmedabad, uma cidade também bem interessante. Fomos a Riverside, escola lindamente construtivista, cuja fundadora, Kiran Bir Sethi, é também a idealizadora do fantástico projeto “Design for Change”. (ps: Tem um TED bem interessante com ela.) Conhecemos a escola pelos alunos que, ainda que pequenos, deram um show de como a escola funcionava. Falaram dos projetos, dos ideais da escola, de como aprendiam e o que aprendiam. Emocionante de se ver, bem como ver alguns projetos acontecerem. 
Interessante como eles vivenciam a aprendizagem, sentindo na pele, o que para mim é o melhor modo de aprender. Por exemplo: Um dos temas era o trabalho infantil, muito comum na Índia. As crianças da escola viveram um dia como se fossem essas crianças. Ficaram o dia todo quebrando pedras embaixo do sol e de um calor insurpotável. Um outro projeto achei uma graça e servia aos alunos que tinham desavenças entre si. Explicitavam a raiva, marcando em um mural quem não gostava de quem. E um deles presenteava o outro com uma planta. E ambos deveriam cuidar dela, enquanto se cuidavam. Deu-me certo conflito essa exposição, mas ao mesmo tempo achei lindo.
Passaria dias contando os projetos que vi ali. Mas vale focar no  “Design for Change”, que inclusive a própria Kiran reforçou aquilo que os pequenos alunos já haviam nos dito. É um projeto que trata o aluno como protagonista histórico e ser capaz de propiciar transformações. O método é simples e segue quatro passos: Sentir (feel), Imaginar (imagine), Fazer (do) e Compartilhar (share). Ou seja, o aluno detecta algum problema que o incomoda, o que já o ensina a observar a realidade como ser ativo. Então ele imagina como pode resolver o problema, e em geral convoca outros para ajudá-lo. Próximo passo é colocar em prática o planejamento do passo anterior, isto é, fazer. E então, compartilhar a experiência, que é um modo de contaminar benignamente a outros.
Esse projeto é relativamente novo e já alcançou boa parte do mundo. Assistimos vídeos de diversos países, com diferentes problemas e suas resoluções. Hong Kong, Butão, Chile, Colômbia, França, Canadá, EUA, Camarões, México, Espanha, Brasil, Filipinas, Portugal, Singapura entre tantos outros. E a maioria conseguiu arrancar-me lágrimas. As crianças levantavam e resolviam problemas de bullying, cantina, recreio, material escolar, acesso à escola, limpeza dos banheiros, buracos nas estradas, inclusão de alunos e diversos outros. Não importava o tamanho do problema nem a sua complexidade, mas sim ensinar às crianças a sentirem os problemas, pensarem em soluções e agirem. Realmente arrepiante de se ver. Tudo muito inspirado no Quociente de Gandhi, já explicado em post anterior. Mas que se resume numa frase do próprio: Seja você a mudança que quer no mundo.
Que ideia simples, mas altamente transformadora. E, além de compartilharem com a comunidade o problema sentido e como foi resolvido, há ainda um evento, de que também participamos, onde há a troca com todas as escolas envolvidas da Índia. Como há ainda um evento bem maior, onde compartilham com todas as escolas do mundo que abraçam essa causa. Kiran, a idealizadora, é de uma simplicidade que nos faz pensar e é mulher iluminada. Não há como negar.
Por mais que existam também aqui no Brasil projetos assim, eu nunca vi algo tão grandioso, organizado e ao mesmo tempo simples e complexo.  Sei que, de todas as viagens que já fiz, talvez a Índia tenha sido a que mais impactou a minha vida. Proporcionou-me rever muitos conceitos, valores e percebi mudanças que vieram delicadamente, assim como os indianos são.

Obrigada Deus pela vida, por me acompanhar nessas aventuras tão construtivas, por me permitir viver tais maravilhas. Obrigada a cada indivíduo que passou pela minha vida, ajudando-me, por bem ou por mal, a ser pessoa melhor. Um ser ainda em construção, e que assim seja até o último suspiro. Até a próxima viagem!

Acesse o link e veja outras postagens da série Educação pelo mundo.

SÉRIE EDUCAÇÃO PELO MUNDO

12 comentários:

  1. Anônimo3/17/2015

    Não me canso de ler você, Lígia. Você é pura poesia! Obrigada por tanta coisa linda que divide generosamente conosco.
    um beijo no seu coração.
    Lea Souza

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Lea pelo carinho.
      bj bj

      Excluir
  2. Anônimo3/17/2015

    Que experiência a sua! Parabéns pela coragem em desbravar o mundo da educação.
    Sua sempre fã
    Cris Santos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quanto mais desbravo os mundos, mais entendo esse nosso mundo e o meu. :) bj Cris. Sempre, sempre sempre bem vinda!

      Excluir
  3. Anônimo3/18/2015

    Já estou aguardando a próxima viagem. Precisa de alguém para carregar as suas malas? Hahaha
    um beijo enorme
    Beatriz Lopes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Beatriz, não preciso que carregue as malas, mas seja bem vinda a viajar conosco a ampliar olhares de mundos. bj enorme.

      Excluir
  4. Anônimo3/19/2015

    Parabéns pela publicação! Hoje mesmo estava lendo sobre uma possível aliança entre a China e Russia e Venezuela caso o EUA tentasse invadir a Venezuela. Sempre olho os comentários. E vi ódio nas pessoas, uns falavam que a Russia é maior que os EUA em termos bélicos, e outros defendiam os EUA. Isso me deixou bem triste, pois ninguém se importavam com as pessoas que teriam que suportar as armas e o peso da guerra. Mas ao ler esta publicação, sinto que ainda há esperança nos seres humanos. fico imaginando - se os superpoderes dos grandes governantes fossem: Feel, Imagine, Do and Share. Há! o mundo seria bem diferente. abraços
    de: Ronaldo Sabino

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querido Ronaldo, que maravilha ler você! E que linda percepção a sua. Bravo!
      bj grande e saudade

      Excluir
  5. Anônimo3/26/2015

    Quando eu crescer quero ser igual você.
    beijo no coração
    Lu

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahhhh, outra Lígia? Prefiro a Lu crescida. kkk

      Excluir
  6. Ao final do texto me vi arrepiada. Seus sentimentos expressos em cada linha, belíssimo! Meu orgulho por você aumenta a cada dia. Muito lindo de ver a maneira com que olha o mundo ao seu redor, que se questiona, que não se conforma e que tenta sempre crescer. E se encontrou pessoas iluminadas pelo caminho, tenha certeza que foi por estar aberta a elas. Muito obrigada por fazer parte da minha vida e por me encher de razões para ser feliz. Te amo.

    ResponderExcluir
  7. Gabi, assim eu choro.
    Nossa, como é bom ter uma filha como você. Motivos de sobra para ser feliz. Te amo.

    ResponderExcluir