31 de ago de 2014

115: ANSIEDADE DE MÃE: DOMAR OU SER DOMADA?


Quem é mãe sabe muito bem o que é a ansiedade, isto é, anteceder situações de perigo reais ou imaginárias, que podem provocar medo, dúvida ou expectativa. Na vida atribulada que levamos, com todos os perigos que estão ao redor, é muito fácil sofrermos por antecipação, em especial quando se trata de filhos. Há ene situações que nos levam a isso, mas quero focar em apenas uma: quando os filhos não atendem o celular. Cansada das preocupações e de não conseguir que os filhos a atendessem, a mãe americana Sharon Standifird, criou um aplicativo já a venda e com grande sucesso. Ele bloqueia o celular quando o filho não responde sua chamada ou mensagem. Após isso, cabe-lhe duas opções: ligar para a emergência ou para os pais, os únicos que podem desbloqueá-lo. Uma adolescente comenta: “Acho que a mãe da pessoa que fez isso é muito louca!” E eu diria: “Cara adolescente, que mãe não fica louca sem notícias num mundo tão insano como o nosso?” De fato, conheço poucas. Infelizmente esta criação pode ser útil para muitas mães, que diriam: “Se não consigo educar por amor que seja pela dor.” Todavia, comprar o aplicativo é fácil e prático, mas também instala-se uma guerra. Melhor educar os filhos para que nos atendam e que haja compreensão mútua! E nada melhor do que uma boa conversa, buscando o porquê dessa ocorrência. E então, uma boa reflexão encarando nossas ações e os reajustes necessários de ambas as partes. Vale ainda aprender a gerenciar as emoções, modificar pensamentos ruins e buscar a lucidez, a saúde psíquica e a paz. 

8 comentários:

  1. Anônimo9/01/2014

    Eu já tentei de tudo com meus filhos e eles não atendem nunca o celular. Lígia, pelo amor de Deus, dá mais dicas aí antes que eu termine de comer meus dedos.
    Mãe ansiosíssima

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mãe ansiosíssima, pelo visto as unhas já se foram. rsrsr Sei como é. Mas já que tentou de tudo com os filhos, vamos então tentar com você? Seguem algumas perguntas que ajudam a pensar em como está lidando com os filhos. Eu sempre as faço a mim para reajustar meus posicionamentos e ações, e controlar a ansiedade. Vamos lá...
      Ligo muito para os meus filhos? Tento controlar a vida deles ou os ensino paulatinamente a serem responsáveis por ela e com ela? Tenho excesso de preocupações, expectativa apreensiva, entro pânico facilmente? Sofro de maneira dramática e cobro dos filhos tal sofrimento? Faço elogios a eles ou só reclamo? Consigo entrar no mundo deles ou só quero que eles entrem no meu? Quando algum pensamento ruim vem a mente eu já ajo conforme a minha imaginação?
      Estas perguntas já trazem dicas de como agir, certo?
      Espero ter ajudado.
      Não deixe que a ansiedade te tome e dome. Vire o jogo.
      Grande abraço

      Excluir
    2. Anônimo9/02/2014

      Muito obrigada Lígia por compartilhar o seu tempo, o seu conhecimento e a sua experiência. Essas perguntas abriram meus olhos. Você é maravilhosa.
      Um abraço enorme
      Mãe um pouco menos ansiosa. kkk

      Excluir
  2. Anônimo9/01/2014

    Sigo sempre o seu blog e quero agradecer as dicas e as reflexões que você nos proporciona. E concordo com você que nem tudo que é mais fácil é melhor.
    beijo no seu coração
    Eliete

    ResponderExcluir
  3. Oi Eliete, fico feliz que desperto em você reflexões e ações. Afinal, pensar e não agir de nada adianta.
    um beijo grande

    ResponderExcluir
  4. Te admiro ainda mais por nos deixar voar, sem segurar nossas asas. Sei o quanto isso é difícil. Te amo e obrigada por ser única.

    ResponderExcluir
  5. É mais confortável deixar voar quando se conhece os filhos, quando se tem consciência do preparo dado e confiança em suas capacidades e potenciais.
    Vocês são únicas! Prá lá de especiais. Os capítulos mais lindos da minha história.
    Amo você, vocês.

    ResponderExcluir
  6. Anônimo9/27/2014

    A tecnologia tem enlouquecido o ser humano. Que saudade do tempo sem celular...LIBERDADE!!! Confesso que ando cansada e de certa forma assustada com o mundo virtual.
    Sinto falta dos abraços, do olho no olho, dos papos reais, sem figurinhas pra ajudar a demonstrar os sentimentos.
    Mas......temos que nos adaptar ao mundo atual...que jeito, tb pelo seu lado bom a praticidade veio junto com tudo isso. Porém, apelo pra que não deixemos de lembrar que quem liga a "máquina' ainda é o homem.
    Bjs PatVal.

    ResponderExcluir