4 de fev de 2014

92. O JOVEM DE HOJE FOI A CRIANÇA DE ONTEM E SERÁ O ADULTO DE AMANHÃ: ESTAMOS EM BOAS MÃOS?


Participei de um debate no programa “Espaço Livre” da TV Assembléia Legislativa da Bahia com doutores em Sociologia e Psicologia. O tema: Quem são os jovens de hoje? Defendi que é impossível falar de uma geração sem contextualizá-la. O jovem de hoje vive numa transição de paradigmas, e já iniciou uma revolução cultural. Ainda despreparados e desbussolados vão fazendo o caminho ao caminhar, enquanto constroem uma nova ordem social, não há como negar. Como melhor prepara-los?
Até a minha geração havia uma ordem hierárquica, um mundo padronizado e disciplinado. Como filhos do iluminismo buscamos em tudo uma “razão de ser” e em todos um “deve ser”. O futuro previsível era a projeção do presente. Ordem e progresso com esforço, dedicação e competência. Os rebeldes iam contra aos padrões pré-estabelecidos, com luta e responsabilidade coletiva, não é companheiro? Mas hoje, é possível ser rebelde? Ir contra a que padrão? Vivemos num mundo despadronizado, sem bandeira comum, com monólogos articulados em redes sociais. Um mundo mix, viral, do espetáculo onde a ‘demonstração’ foi substituída pela ‘mostração’. Sem um caminho pré-estabelecido, cabe ao jovem inventar uma vida singular e imprimí-la no mundo. Que tarefa! Todavia, faltam-lhe várias referencias e base. Que recursos possui para se inventar?
Generalizando, esta geração nasceu em época de prosperidade econômica, da globalização e novas tecnologias. Nativa digital, foi educada na infância e adolescência com muitas atividades, facilidades e consumismos, e acostumada a ter e a fazer tudo o que quer, na hora que quer. Teve poucos exercícios de responsabilidade e autonomia, inclusive com a própria vida, mas inúmeros reforços para elevar a autoestima, criando-lhe a ilusão de que pode ser tudo o que quer. E que não lhe façam críticas! Tornou-se uma geração multitarefária, imediatista, impaciente, individualista, impulsiva, insaciável, anisosa. E, com visão inflada de si, feroz ambição e certa arrogância, sai ao mundo sabendo que o seu futuro é a invenção do presente, confiante de que por merecimento, e sem esforço, destacar-se-á na multidão. “Curte lá no instagran!” Mas, logo percebe que suas expectativas estão fora da realidade, sente-se distante do seu sonho de felicidade e ainda percebe-se em inúmeros conflitos nas relações pessoais e profissionais. Óh céus, óh vida, óh azar! Que tédio!
Mas há como evitar e ajudar. Basta educar seu filho para o mundo real, para viver o processo, que nem sempre é feito de flores e/ou é imediato. Se hoje é preciso inventar-se, é preciso criatividade. Para tê-la é preciso conhecimentos experimentados, que requerem liberdade de ação e com ela, responsabilidade e autonomia, e consciência de que não se é o centro do mundo.
Aproveitemos do inventar criativo e responsável para melhor formar nossos filhos! Ajudemos a bem canalizar as tantas ideias e energias. Preparemos o futuro cuidando do presente e façamos como Fleming: Onde todos viram fungo, vejamos penicilina. Fé na vida, fé no homem, fé no que virá... vamos lá fazer o que será.

11 comentários:

  1. Anônimo2/05/2014

    Compartilhando... merece... beijos!!
    Wânia Viegas

    ResponderExcluir
  2. Anônimo2/05/2014

    Gostaria de saber onde e quando passará o debate na íntegra.
    Grato.
    Prof João Paulo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prof João Paulo, o programa passa no canal 14 da NET, mas é possível ver também no http://migre.me/hCzjX
      Disseram-me que só estaria disponível a partir de quinta. Postarei o link quando sair.
      Abraço

      Excluir
  3. Anônimo2/05/2014

    Edna Marchini
    Definição consciente e muito realista dos jovens de hoje. Vale uma boa reflexão!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Edna, há ainda muito a falar dos jovens e do porque dos jovens assim, não? Você como educadora e tão próxima dessa realidade, sabe bem do que digo. um beijo grande e até a Rússia. Uh hu!

      Excluir
  4. Anônimo2/06/2014

    Amiga, sua competência me emociona. Parabéns pelo trabalho que vc vem realizando! Abraços. Prof. Almir Rodrigues.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado e tão querido Prof Almir! Muito obrigada. Sua sensibilidade, generosidade e amizade me emocionam. Com carinho.

      Excluir
  5. Concordo plenamente com voce Ligia, pois o mundo de hoje está muito diferente. Há paises que está legalizando o uso da maconha, etc.

    ResponderExcluir
  6. Paulo Takeuti, que saibamos perceber as mudanças e lidar sabiamente com elas. Um beijo enorme,

    ResponderExcluir
  7. Maravilhosa análise! Diante de tantas opções e a falta de orientação para as escolhas, é criada uma geração que "deixa a vida os levar". Mas, como disse, que saibamos canalizar todas essas energias e ideias, a fim de bem utilizá-las. Bjs das suas filhotas: Gabi e Camila.
    ps: te amamos!

    ResponderExcluir