8 de nov de 2013

81- SEGUNDA LIÇÃO: CISNES PRETOS TÊM PENAS BRANCAS


Segundo os ornitólogos todo cisne negro tem também plumas brancas. E nesta metáfora usada, diria que há em nós o potencial de ambos os cisnes: branco e negro. E, conscientemente ou não, desenvolvemos mais um deles. Ser cisne negro tem vantagens, mas é minoria e convive com a maioria. E se somos biológicos, somos também sociais. Assim, entender, respeitar e saber viver com cisne branco é necessário, caso contrário o cisne negro isolar-se-á em sua arrogância. Ter algumas penas brancas não é de todo mal. Há nelas características por vezes necessárias. E uma certa semelhança dará aos cisnes brancos segurança, o que possibilitará ao negro diferenciar-se. Mas, que penas escolher?
Ser cisne branco é agradar ao outro e não ser problema. É estar seguro nos trilhos, atento ao que já sabe e acomodado aos padrões. É ser dependente, submisso, meigo, passivo, previsível. Perfeito, frágil, inocente, suave, vulnerável, virginal.
Ser cisne negro é ser ousado, forte, espontâneo, criativo, visceral. Verdadeiro, intenso, exuberante, imprevisível, surpreendente. É reconhecer-se único, liberto da opressão e dos condicionamentos sem medo de impactar, de se entregar e de frustrar expectativas alheias. É saber andar por trilhas junto ao inesperado, ao incerto e à busca da excelência. Pronto a superar-se, a sair do lugar comum, a privilegiar o que não sabe em dúvidas e curiosidades.
Posto assim, que saibamos dialetizar os modos opostos de ser, bem escolher as nossas penas, em busca de uma síntese que faça de nós, pais e filhos, seres convictos do que se quer ser.

8 comentários:

  1. Ligia, muito bom poder ler suas postagens e aprender tanto com elas. Obrigada por compartilhar conosco suas visões, vivências, experiências, deduções, aprendizados, etc etc etc. E vamos nos equilibrando entre as plumas e as essências. Entre as origens e as circunstâncias. Entre o "certo" e o "errado". Entre as verdades e os equívocos. Bjs queridos. Já ansiosa pelo próximo post. P.S.: Demorei pra comentar, pois queria antes assistir ao filme Cisne Negro. Muito bonito, forte e intrigante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O filme mostra bem este conflito em nós. Importante é não se perder nesta busca, ou ter que fazer morrer um dos cisnes em nós. Bom é conhecer as plumas e saber bem sintetizá-las. E mais... é preciso saber viver. Obrigada Valéria.

      Excluir
  2. Texto belíssimo! E assim como bem FILHOsofamos sobre esse tema, é no cisne branco em que o cisne negro se reconhece e se distingue. Amei a reflexão.
    E mais lindo ainda foi a sua descrição de ambos os cisnes, da maneira mais única possível. Parabéns. Lindo o seu olhar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gabi, minha querida, cada palavra da descrição há um mundo. É texto para identificar, digerir, saborear, absorver o que vale e defecar o que não convém. É o que tenho feito com ele. rsrsr Te amo, te amo.. e até brevíssimo para as nossas FILHosofias olho no olho. Que saudade! bj bj Contando as horas.

      Excluir
  3. Anônimo11/10/2013

    Daniele Araujo
    8 de novembro
    Estou sem palavras Ligia Pacheco, vc como sempre fenomenal!!! Traz tudo aquilo que precisamos saber pra fazer de nossos filhos, pessoas melhores que nós.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Daniele Araujo. E lembre-se, eu sou minha primeira leitora. Rsrs As lições são primeiramente para mim. Beijossss

      Excluir
  4. Anônimo11/10/2013

    Fátima Reis
    Equilíbrio, como Yin Yang, Forças opostas que se complementam. Compartilhando.

    ResponderExcluir
  5. Anônimo11/11/2013

    Refletir para conseguir EQUILIBRIO obrigado Ligia pelo texto tão profundo.....

    ResponderExcluir