18 de mai de 2012

52- ÓCULOS DA CRITICIDADE


Quando dava aula para crianças havia uma novela que os hipnotizava. Ninguém conseguia terminar as tarefas, a concentração foi para o espaço e o assunto da aula, por mais interessante que fosse, acabava no capítulo do dia anterior. Os pais não sabiam mais o que fazer, pois não era um programa muito educativo. Mas, proibir por proibir não gera resultados.
Percebi que as crianças estavam passivas ao programa, não refletiam, nem digeriam nada, apenas, como esponjas, absorviam o que viam, ouviam e facilmente reproduziam. Então, fizemos um exercício de reflexão e criticidade. Imaginamos nos colocando óculos que ajudavam a ver para além do que aparece ou aparenta. Exercitamos esse olhar e discutíamos o que víamos. Por dias fizemos isso, até que passei nova atividade: Assistir o capítulo da novela com os óculos da criticidade para discussão no dia seguinte. Eles mal podiam acreditar. Novela como tarefa? Sim.
A novela passava-se numa escola, e naquele capítulo, um dos alunos havia feito algo errado e conseguido com que a professora, bem camarada, o ajudasse a esconder o fato dos pais.
Foi uma delícia vê-los discutindo valores, ética e construindo conceitos para a vida. Aos poucos foram percebendo o que estava por trás de cada programa e de tudo o que se passava ao redor. A novela acabou perdendo a graça, mas os “óculos” permaneceram aumentando-lhes a percepção à vida. Continuamos exercitando e fortalecendo o pensamento crítico para que suas cabecinhas não fossem entregues, de bandeja, a quem quer que fosse.
imagem: blog.eotica.com.br

4 comentários:

  1. Anônimo5/19/2012

    Écom as habilidades fortalecidas que as pessoas mudam o cenário da vida, tornando-a mais saudáve.Muito bom ,abraço.

    ResponderExcluir
  2. Que grande ideia, Lígia! Vou experimentar cá em casa. O sentido crítico, nos dias que correm, é absolutamente fundamental, para que eles comecem rapidamente a fazer as suas escolhas em consciência.

    ResponderExcluir
  3. Anônimo, ter a consciência de que se é responsável pela própria vida é um grande presente à vida. um beijo

    ResponderExcluir
  4. Sara Rodi, experimente mesmo. É uma delícia e fundamental desenvolver esse olhar crítico nos pequenos. Mas, se prepare, pois eles treinarão também com você. Aqui no Brasil chamamos de "vaquinha de presépio" a pessoa que concorda e aceita tudo. É mais fácil lidar, mas bem menos interessante. E, os filhos ao exercitarem a crítica conosco, fazem nos refletir muitas coisas. Um feedback maravilhoso. um beijo grande

    ResponderExcluir