9 de abr de 2012

48- PREPARE SEU FILHO PARA O MUNDO REAL.

PARA PENSAR:
Uma escola da Califórnia, cansada de ser processada pelos pais que exigem a aprovação do filho mesmo com muitas faltas e sem os trabalhos escolares, resolveu gravar em sua secretária eletrônica a seguinte mensagem:
- Olá! Para que possamos ajudá-lo, por favor, ouça todas as opções: 
- Para mentir sobre o motivo das faltas do seu filho - tecle 1. 
- Para dar uma desculpa por seu filho não ter feito o trabalho de casa - tecle 2. 
- Para se queixar sobre o que nós fazemos - tecle 3. 
- Para insultar os professores - tecle 4. 
- Para saber por que não foi informado sobre o que consta no boletim do seu filho ou em diversos documentos que lhe enviamos - tecle 5. 
- Se quiser que criemos o seu filho - tecle 6. 
- Se quiser agarrar, esbofetear ou agredir alguém - tecle 7. 
- Para pedir um professor novo pela terceira vez este ano - tecle 8. 
- Para se queixar do transporte escolar - tecle 9. 
- Para se queixar da alimentação fornecida pela escola - tecle 0. 
- Mas se você já compreendeu que este é um mundo real e que seu filho deve ser responsabilizado pelo próprio comportamento, pelo seu trabalho na aula, pelas tarefas de casa, e que a culpa da falta de esforço do seu filho não é culpa do professor, desligue e tenha um bom dia!"

6 comentários:

  1. A que ponto chegamos....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paulo,
      Sim, a que ponto chegamos. Mas, não deixa de ser uma ação educativa, e infelizmente, necessária. grande abraço.

      Excluir
    2. Anônimo5/31/2012

      Isso sim, é o que eu chamo de construir um deliquente.

      Excluir
  2. Anônimo4/09/2012

    MUITO BOM!!! rsrsrs essa escola chegou ao eixo de total estresse rsrsrsrsrsrs quantas são as escolas que gostariam de fazer isso, mas não podem rsrsrs. Eu dou risada, mas enquanto estava lendo eu fiquei pensando na relação da escola e da família atualmente. E acabo refletindo, no sentido da rapidez de como as crianças estão saindo tão cedo de casa nos dias de hoje (chegam à escola dormindo agarrados no paninho etc), devido as mudanças sociais na luta do trabalho do dia-a-dia. E é essa necessidade que deixam os pais preocupados e com culpa. Então, Ligia eu penso o quantos desses pais carregam essa “culpa” e acabam responsabilizando a escola, além dos filhos que "se aproveitam desta situação" rsrsrs. Eu realmente tenho meu ponto de vista como mãe e como profissional da educação: Eu sei que quando nossos filhos estão nas mãos de profissionais preparados e bem orientados, eles terão um bom desenvolvimento e essa sensação de "culpa" chega a ser desprezível. Como educadora, dentro da escola, vejo que a escola existe para ajudar na tarefa de educar, orientar e criar condições para que a criança cresça socialmente integrada e equilibrada, mas NÃO substitui os pais que não têm tempo para seus filhos, eles são os principais educadores e com o maior poder de influência na formação da personalidade da criança. Infelizmente a proporção e a intensidade de pais que responsabilizam a escola chega a ser assustador nos dias de hoje. É lógico que existe uma balança, porque eu já presenciei professoras que reclamam e acusam 80% a 90% da sala e apontam como “sala problemática”, neste caso, e pela porcentagem dita por elas mesmas, não tem como dizer que esta professora não está sendo cuidadosa na sua abordagem e na sua conduta dentro da sala de aula (é necessário que o professor crie condições que o aluno participe de situações que favoreçam o bem estar dentro da escola) e está conduta acaba gerando um desconforto com os alunos e com os pais em questão. Essa atitude do professor,que é um problema interno e muito sério, precisa ser revista pela escola. Ligia desculpa tanto tempo de reflexão, mas para variar amei o tema e sai em disparada, e por favor... amo quando vc dá seu ponto de vista, porque só assim que a gente consegue caminhar e mesmo assim e um trabalho árdo e difícil rsrsrs. Bjss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo... ahhhh... Anônimo???
      "Ligia desculpa tanto tempo de reflexão, mas para variar amei o tema e sai em disparada"
      Bem, reflexão não tem tempo, não é? Você deixou fluir e isso é ótimo. Você colocou algo que me preocupa muito e que vejo muito também: professores reclamando da "sala problemática". E se a sala assim continua, eu penso: Será que este professor está no lugar certo? Seria um bom professor-educador? E, se a sala não for problemática, será que isso não é um problema? rsrsr bjs bjs

      Excluir
  3. Oi Ligia!
    Que coisa louca, não?
    Vou fazer um paralelo com a realidade do berçário, pois acho que é quando a coisa começa a degringolar.
    Tenho um filho de 9 meses e há dois ele tem frequentado berçário por meio período. E, guardadas as devidas proporções, acho que os pais pensam mesmo por aí, pois percebo que as berçaristas e professoras morrem de medo dos pais. Elas trocam as roupas das crianças mil vezes por dia. A bundinha tem camadas de pomada sempre, muito mais que eu uso aqui em casa. Ele está sempre over-agasalhado. Como se as profissionais estivessem sempre morrendo de medo de os pais reclamarem de algo. Fiquei espantada com isso.
    Tenho a impressão de que os pais encaminham às escolas todas as suas neuroses, como se para compensar nossas falhas a escola devesse ser perfeita. Só que - na minha modesta opinião - perfeição demais é imperfeito, irreal.
    A roupa do meu filho fica suja pq ele é um bebê e derruba suco mesmo. Tem assaduras pq bebês têm assaduras; é preciso cuidado, e tudo bem.
    Sinceramente, a rede particular de ensino parece ser dirigida hoje em dia pelas vontades e caprichos dos pais - que conhecem e amam seus filhos, mas não necessariamente entendem de educação.
    Medo!
    Beijos,
    Rafaela

    ResponderExcluir