8 de set de 2011

29- LIÇÃO DE CASA: COMO AJUDAR?

Para aprender é preciso oportunidade e interação com ela.
Para aproveitar a oportunidade é preciso motivação.
Para ter um motivo-na-ação é preciso ter sentido.
Para ter sentido é preciso identificação e utilidade.

Na prática:





O livro é uma porcaria para Calvin, pois ele não faz sentido na sua vida. Não basta a oportunidade. Mas como fazer para que Calvin busque um sentido? A mãe pode ler com ele, ajudá-lo a dar sentido, ensinando-o a identificar, em seu dia-a-dia, o que ele aprende. Como assim? Vamos supor que Calvin precise estudar alguma batalha para a aula de História. A mãe pode relacioná-la ao que acontece nos condomínios, ou na própria escola, ou com os amigos do prédio. Chamar a atenção às diversas batalhas do dia a dia, compará-las com as batalhas que estuda, buscar diferenças, semelhanças, refletir sobre elas. A relação feita vai depender da idade e do conhecimento da criança, mas trazer o conteúdo para a sua realidade ajuda a motivar e dar sentido. Mas lembre-se, não se aprende pelo outro, e nem é bom criar uma dependência entre você e o estudo do seu filho. Invista, comece junto, ensine-o a pensar, a manter a motivação, mas favoreça o desenvolvimento da autonomia.

4 comentários:

  1. Minha querida e eterna professora, esse texto me lembra Carlos Drummond de Andrade (Aulas de Português:

    A linguagem
    na ponta da língua,
    tão fácil de falar
    e de entender.
    A linguagem
    na superfície estrelada de letras,
    sabe lá o que ela quer dizer?
    Professor Carlos Góis, ele é quem sabe,
    e vai desmatando
    o amazonas de minha ignorância.
    Figuras de gramática, equipáticas,
    atropelam-me, aturdem-me, seqüestram-me.
    Já esqueci a língua em que comia,
    em que pedia para ir lá fora,
    em que levava e dava pontapé,
    a língua, breve língua entrecortada
    do namoro com a prima.
    O português são dois; o outro, mistério.

    Infelizmente seja na escola ou em casa as tradições estão sempre sendo legitimadas. Ninguém aprende por ninguém, mas também não se aprende sozinho e sim a partir da interação com o outro. E já que é assim, é importante e urgente que a aprendizagem ocorra por meio de práticas significativas, que tenham sentido, vida. Pois o contrário, resultará em um conhecimento "numa superfície estrelada",práticas vazias e com um fim em si mesmas. Para que o "outro" não seja mistério, é preciso que saibamos a importância dele, mas para isso precisamos reconhecê-lo como algo significante para nossa vida.

    Beijos

    Alexsandra

    ResponderExcluir
  2. Leka querida, que contribuição mais linda e madura! Que delícia presenciar tamanho desenvolvimento. Um beijo queridíssimo.

    ResponderExcluir
  3. Anônimo9/13/2011

    Antonio Pereira Oliveira Filho pergunta:
    E se seu filho so gostar de brincar com meninas ? brincadeiras tipo , DE MEDICO , MARIDO e MULHER , entre outras ?

    ResponderExcluir
  4. Antonio,
    Na minha concepção, quanto maior a cultura geral possibilitada a um filho, maiores as chances de novas aprendizagens e portanto de desenvolvimento. As brincadeiras de médico, marido e mulher, professora, caixa de supermercado, motorista de onibus entre tantas outras são fundamentais ao desenvolvimento da criança para que ela possa compreender melhor como funciona a sociedade. Além de serem base para outras aprendizagens como a alfabetização, por exemplo. E, diversificar é importante. Não creio ser bom que se goste só de uma coisa, seja de mulher, seja do que for. Assim, se o filho só gosta disso, sugiro abrir-lhe a mente, oferecendo novas e desafiantes oportunidades de aprendizagens e crescimento. beijos e obrigada pela pergunta. Muito boa.
    11/09/11 10:12

    ResponderExcluir