12 de ago de 2011

24- NÃO SE VIVE AUTONOMIA PELO OUTRO.


Desculpem, mas insisto na AUTONOMIA. Desenvolvimento fundamental para tantos outros. 

Quando minha filha terminou o Ensino Fundamental foi viajar com a escola para comemorar. De São Paulo à Bahia. No aeroporto, os adolescentes mostravam-se agitados e ansiosos, e os pais aflitos com tantas recomendações. Mas algo me chamou a atenção: o tamanho das malas. Pela primeira vez eu via malas masculinas bem maiores que as femininas. Uma mudança paradigmática? Não me contive e fui investigar: a maioria das meninas havia feito a própria mala. Já a maioria dos meninos nem imaginava o que carregava, pois as mães a haviam feito. Estava explicado o tamanho! Mas não é disso que quero falar, e sim de autonomia, e que não serve só para a mala. Mas, por que as meninas conseguem fazer a mala e os meninos não? Fácil. Porque as meninas têm a oportunidade de fazer a própria mala, e os meninos não. As mães não acreditam neles e não os deixam fazer. Simples assim. Mas convenhamos, é bom que eles aprendam. Mas, a autonomia para arrumar uma mala não se dá da noite para o dia. É um processo lento, por isso é bom começar de pequeno. Mas sempre há tempo. Sugiro que primeiro arrume a mala com o filho. Depois, deixe-o arrumar sozinho e faça a checagem com ele, ajudando-o a perceber os ajustes necessários, e a observar não só a mala que vai, mas também a mala que volta.  E, quando sentir que está no ponto, deixe-o fazer sozinho, pois não se desenvolve autonomia no lugar do outro. Só aprendemos fazendo, seja a mala, seja a autonomia, seja lá o que for.

4 comentários:

  1. Olá Lígia
    Ótimo texto, precisamos dar autonomia aos nossos filhos, gostei!!! Tenha um dia abençoado. Bjs

    ResponderExcluir
  2. Precisamos mesmo. Pois esta autonomia dada a criança faz toda diferença em seu desenvolvimento, além de ser base para a autonomia de sua fase adulta. bjs

    ResponderExcluir
  3. Que nada!Tem coisas que a gente tem que deixar com as especialistas! Antes era mamae, mas hoje em dia quem faz a minha mala e' a minha mulher!O melhor que elas adoram! De mala basta eu! (mas que 'mala'e' um construto socio-cultural, isso e' mesmo,conforme sua breve etnografia nos saloes do aeroporto destacou...) Bacci, Jorge K

    ResponderExcluir
  4. Jorge, Fiz certa vez uma pesquisa com mulheres entre 20 a 50 anos de todas as regiões brasileiras. Entre outras conclusões, pude notar que a maioria fazia determinadas coisas aos homens com medo que outra mulher fizesse em seu lugar. Encontrei também as que acreditavam ser o seu papel, as que faziam por gosto, as que deixavam claro o papel da cultura nesta missão, as que queriam os homens dependentes delas e as que não faziam. Não sei onde suas mulheres se encaixariam na pesquisa ou se criariam outra categoria. Sei que eu não gosto de fazer a mala de ninguém e muito menos que decidam por mim o que usarei em viagem. Mas, se este for um mimo que te faz bem, então siga em frente. E por falar em mala, acredita que já me propuseram trabalhar com isso, de tão bem que arrumo? Desenvolvi técnicas maravilhosas. Posso ensinar. hehehe beijos, beijos

    ResponderExcluir