11 de jun de 2014

105. EDUCAÇÃO PELO MUNDO II: Tá Russo!


A Rússia lembra o Brasil em certos aspectos. É grande na geografia, na população e nas carências. Talvez a maior delas seja a real liberdade. Afinal, a história de um povo deixa nele muitas marcas, inclusive em seus governantes, apesar das mudanças. As lindas estações de metro de Moscou, luxuosas e repletas de obras de artes com referencias históricas e politicas do país, tinham como meta serem símbolos de que o comunismo seria o futuro. Mas o McDonald‘s venceu! E o comportamento capitalista mostra-se no prestígio de quem tem carros e roupas importadas. Também o padrão chega as escolas, repletas de Macintoshes e outros equipamentos importados. E, quem tem mais aluno, recebe maior financiamento do governo. Assim, a concorrência é acirrada e requer novas aprendizagens em investimento, excelência, administração e marketing. Vê-se ainda nas escolas a marca do totalitarismo, mas as reformas educacionais prometem mudanças. A primeira delas é adequar a escola às pessoas e não o contrário como até então se cumpriu. Mas, sabemos que mudanças paradigmáticas são lentas, pois a cultura já incorporada nos seres dificulta a percepção das reais transformações necessárias. Vamos aguardar. Todavia, notei nos seminários e nas instituições educacionais um misto de teorias  fundamentando a filosofia e a prática pedagógica, não apregoando uma forte identidade. Porém, são pressupostos interessantes, que podem dar uma colcha de retalhos ou um mágico caleidoscópio. Falaremos mais disso na próxima postagem.

A tradição
A inovação
O respeito. Alunos levantam-se ao entrarmos na sala.


7 de jun de 2014

104. EDUCAÇÃO PELO MUNDO I: Primeiras Impressões


Tulipas
Estive no mes de Maio em pesquisa educacional na Finlândia e Rússia juntamente com uma delegação de educadores. Nosso país é campeão nas últmas colocações do ‘Programa Internacional de Avaliação de Estudantes‘ e por isso fomos conhecer de perto, e aprender, o que os países com bons resultados fazem. No ano passado, fomos a China uma das mais bem colocadas no ranking. Veja as postagens de número 70 a 76. Agora, nos próximos posts tratarei do que percebi e aprendi nas visitas em escolas e universidades, e na participação em seminários sobre o sistema educacional destes países, e as consequências desta educação na vida dos alunos e da própria sociedade. Primeira parada: Rússia.
Moscou e São Petersburgo, as cidades visitadas, são magníficas nos monumentos arquitetônicos mostrando riqueza, história e arte. E o seu povo, produto da educação que recebe, mostrou-se bem educado, amável, discreto e disciplinado. Vê-se pouquíssima obesidade, um povo bem arrumado, inclusive os alunos. Fiquei a pensar se uma vestimenta interfere na organização escolar. Mas vê-se também depressão, prostituição e problemas de alcoolismo. O clima afeta sim as histórias de vida. Impressionou-me ainda os jardins e a limpeza, especialmente em Moscou. Não vi um papel no chão por onde andei, e notei pouquíssimas lixeiras. E em meio ao trânsito intenso, via-se lindos canteiros de tulipas e muitas macieras floridas. Eu que já desenhei tantas macieiras na escola, dei-me conta de nunca havia visto uma. Mas nem tudo são flores apesar da primavera. Aguardem a próxima parada.

Arquitetura - Igreja de São Basilio
Limpeza do Metrô-Museu
As Macieiras em flor
A elegância das crianças